Portal da Cidade Campina Grande

PERIGO

Ataques e Mordidadas de Cães a Trabalhadores

O cachorrro é um dos principais perigos ocupacionais enfrentados todos os dias por carteiros e leituristas.

Postado em 08/11/2021 às 12:24 |

Alguns trabalhadores estão mais susceptíveis, durante suas atividades ocupacional, de serem mordidos por cães, dentre alguns desses trabalhadores, podemos citar carteiros e leituristas das empresas de energia elétrica e de abastecimento de água.

O animal é um dos principais perigos ocupacionais enfrentados todos os dias por essas duas categorias de empregados, tanto que as empresas, dentro de suas gestões de saúde e segurança do trabalho, dispõem de treinamentos e de procedimentos para serem seguidos pelos funcionários quando se depararem com cães violentos.

O cão reage a qualquer ação quando percebe que seu território está sendo invadido, a simples presença dos trabalhadores e ação que fazem, por exemplo, de passar a mão no portão ou de colocar ela sobre a caixinha do carteiro, já são motivos suficientes para eles reagirem, pois entendem que seu território esteja em risco de invasão, devido a isso atacam para se defender.

Perante a legislação trabalhista o funcionário que sofrer uma lesão, estando a serviço da empresa, isso caracteriza como sendo acidente do trabalho, o qual deve ser comunicado pela empresa aos órgãos responsáveis pela saúde e segurança do trabalho, como o Ministério do Trabalho e a Previdência Social.

Algumas medidas de segurança, se adotadas pelos criadores de cães, ajudam e muito a prevenir mordeduras dos animais nos trabalhadores, quando em suas atividades laborais externas.

Prender o cão no momento em que esteja sendo entregue correspondências ou serviços de leitura de energia e de água, dentre outros serviços; sinalizar com placas área externa da residência sobre a existência de cão; aumentar tamanho de grades ou de portões; os donos do cão devem ter o cuidado de sempre verificar se o portão da casa está fechado e trancado, evitando que o animal consiga abri-lo ao fazer força quando da chegada do carteiro; defeitos ou aberturas em portões ou buracos em cercas de proteção devem ser consertados, garantindo que o cachorro não encontre nessas fendas uma chance para sair de seu espaço e atacar os trabalhadores em serviço; lembrar-se de instalar e deixar a caixinha do correio para o lado de fora do portão a uma altura de 1,6 metros, distante do alcance do cachorro.

A relação é conflituosa e bastante antiga envolvendo categorias de empregados em suas atividades externas e os cães. São mordidas e ataques contra os trabalhadores, sofridas no dia a dia que poderiam ser evitadas e até eliminadas, para isso o apoio dos donos de cães é de grande importância para prevenção de acidentes laborais para quem tem a rua como ambiente de trabalho.


ELI ALMEIDA

Graduado em comunicação social

Técnico de segurança do trabalho

Pós-graduado em gestão ambiental na indústria


Fonte:

Receba as notícias de Campina Grande no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Outras notícias